#ENTRETENIMENTO: NÃO SEJA UM DOS PORQUÊS!

Não tome decisões precipitadas…

Essa semana, na sexta, estreou uma nova série na Locadora Vermelha chamada 13 Reasons Why (13 Porquês) e acabei de assisti-la e falarei dela nesse post.

Disclaimer: Eu não li o livro.

Sinopse

Baseado no clássico romance de Jay Asher, é a história Clay Jensen, um estudante um pouco tímido, do ensino médio da Califórnia, volta para casa da escola um dia para encontrar um pacote enviado anonimamente, em sua porta. Após a abertura, ele descobre que é uma caixa de sapatos contendo sete fitas cassete gravada pela falecida Hannah Baker, sua colega que recentemente cometeu suicídio. As fitas foram inicialmente enviadas para um colega com instruções para passá-las de um estudante para outro, no estilo de uma carta em cadeia. Nas fitas, Hannah explica á treze pessoas como eles desempenharam um papel na sua morte, apresentando treze razões que explicam porque ela se matou.

Minha opinião…

Primeiro, as coisas que gostei. A forma como a história foi FILMADA me agrada muito.

  • A música que está tocando ajuda na narrativa
  • A mudança da paleta de cores para definir passado e futuro
  • Planos entre os tempos justamente quando o assunto do passado é mencionado (direta ou indiretamente)
  • O modo como a câmera balança no passado demonstrando os medos e inseguranças de Hannah Baker que vão progredindo a medida que os episódios passam ou a situação em que ela está.

Isso é bom. Isso me agradou muito. Uma série adolescente que não tem medo de ser uma, mas sem te irritar por ser dessa forma. As atuações são legais, tirando a mãe de Hannah e Tony (falarei dele mais tarde), e é uma série sobre um assunto pesado e pouco explorado, que infelizmente é rotineiro na vida dos adolescentes.

Obs.: Outros assuntos pertinentes (que são spoilers) são representados muito bem nessa série também.
Essa é a parte que adorei!

Agora sobre as partes que não gostei, são estas: Tom, roteiro e mal aproveitamento.
O tom da série é muito errado, na minha opinião. Devia ser uma série que faz você pensar, ao estilo Black Mirror, te fazendo sentir como um grande merda que provavelmente seria um dos porquês. Acredito que isso não acontece. A série te toca,  porém o poder que a mensagem tem, vai se perdendo em meio à construções narrativas esquisitas e falta de clímax. Enquanto alguns episódios são fantásticos (os mais pesados), outros são tão ruins e esquecíveis que o conteúdo da fita em questão (tema abordado), mal é lembrado.

Os melhores episódios são esses. Quando a série se trata de forma mais pesada. E acredito que TODA a série devia ser dessa forma e não apenas alguns episódios.

O roteiro parece ser confuso, na verdade não é, mas a maneira como os episódios se passam dão essa impressão. Alguns personagens são muito mal escritos, onde percebe-se a intenção que quer ser passada, mas a atuação (TONY, TO FALANDO DE VOCÊ) não passa nada além de indiferença.

Quando falo sobre mal-aproveitamento, falo sobre essa ideia incrível que podia tocar na ferida de muitos porquês por aí, mas que falha bastante em fazer isso. Estava esperando ser jogado contra a parede e ser espancado com a realidade ao meu redor e como possa ajudar pessoas que passam pelo que Hannah passou, mas não foi o que aconteceu. O espancamento ideológico que a série prometia, surgiu apenas como um tapa no meu rosto.

Conclusões

Depois disso, acredito que essa é uma série que deve ser vista, pelo tema que ela aborda e a mensagem que tenta passar. Mesmo que você veja certos problemas no desenvolvimento da mesma, acredito que pode ser aliviado para que o assunto abordado possa ficar claro: Não seja um dos porquês.

 

 

Thaylon Pedrosa
Article by Thaylon Pedrosa

Estudante de Publicidade e Propaganda, aspirante a Jedi e um bom exemplo de mau exemplo.

Be the first to comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *